Vendaval desabriga 65 famílias indígenas que aguardam aldeia urbana no Santa Mônica.

18/07/2014, 12:00.

Tatiana Lemes

Os fortes ventos que ocorreram durante a madrugada desta sexta-feira (18) destruiu vários barracos de indígenas no Bairro Santa Mônica, região oeste de Campo Grande.
Os ventos que atingiram 87 km/h, às 2 horas, arrancaram várias lonas de alguns barracos das famílias terenas que estão acampadas no cruzamento das Ruas Marin com a Lúcia Helena Coelho. O vendaval causou muitos prejuízos.
A área foi invadida pelos indígenas há duas semanas. O grupo formado por 65 famílias vieram de Aquidauana em busca de melhores condições para a família, bem como reivindicar a construção da quinta Aldeia Urbana da cidade.
Na manhã de hoje, a secretária da SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social), Janete Belini D’Oliveira, esteve no acampamento para fazer o levantamento social e solucionar as consequências causadas pelo vendaval da madrugada.
De acordo com a secretaria, uma equipe do Cras (Centro de Referência de Assistência Social) mais próximo já foi acionada para acompanhar e ajudar a comunidade. “Já estamos tomando todas as providências para resolver os prejuízos causados com o vendaval”, afirmou Janete.
A secretaria disse que as famílias terenas perderam colchões, roupas, alimentos, cobertores e até documentos. “Agora vamos aguardar que o Cras ajude na reposição do material perdido e principalmente providenciar outras lonas para cobrir os barracos porque vem mais chuva e eles não podem ficar desalojados”, garante.
O subcoordenador para assuntos indígenas de Campo Grande, Aguinaldo Terena, também esteve no local para conversar com as lideranças e tentar ajudar as famílias. “Eu estive ontem aqui conversando com as lideranças a respeito da invasão, hoje vim para ajudar no que for possível”, alega.
O subcoordenador revelou que a questão da invasão está sendo discutida com o prefeito Gilmar Olarte e as lideranças para chegar a uma solução. “Estamos em conversação e não são só eles que estão com problemas para serem resolvidos. Vamos solucionar a situação o mais breve possível”, relatou.
Atualmente são 10 mil indígenas que vivem em Campo Grande. Segundo Aguinaldo muitos tem deixado sua aldeia e vindo para a Capital em busca de melhores condições para a família e reivindicam uma moradia digna para todos.

Fonte: Jornal eletrônico MidiaMaxNews.
Disponível em: http://www.midiamax.com.br/noticias/919434-vendaval+desabriga+65+familias+indigenas+aguardam+aldeia+urbana+santa+monica.html#.U8m5IvldX1Y

Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s